União agilizará reconhecimento de emergência por queimadas em MS

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Com o reconhecimento, governo poderá solicitar materiais e recursos

CLODOALDO SILVA, DE BRASÍLIA

O Governo federal vai agilizar o processo de reconhecimento da situação de emergência em Mato Grosso do Sul por causa das queimadas no Pantanal. A afirmação foi feita pelo Ministro de Desenvolvimento Regional (MDR), Gustavo Canuto, ao governador Reinaldo Azambuja, na tarde de hoje (16).

Com a publicação da portaria de reconhecimento no Diário Oficial da União, o Governo estadual passa a ter direito de solicitar material, equipamentos, pessoal e até recursos para usar no combate às queimadas. “Sabemos da gravidade e da importância de uma união de todos os entes. O governador Reinaldo Azambuja, preocupado com a situação, na sexta-feira já decretou a situação de emergência, que já esta conosco. Vamos fazer a homologação o mais rápido possível”, destacou o ministro.

A proposta do ministro é disponibilizar “aeronaves do exército, contingente de soldados para ajudar no combate ao fogo. Tudo o que o Estado realmente achar oportuno tem de apresentar ao ministério. No ministério já dei autorização para que faça remanejamento de recursos para que possa atender Mato Grosso do Sul, já que há prejuízo ambiental, da fauna, da flora e que pode colocar em risco até as vidas humanas. O MDR e a União vão ajudar no que for preciso”. Canuto disse que os recursos tanto financeiro como material vão depender da solicitação do governo do Estado.

Para o governador, o ministro Canuto e o Governo federal são parceiros na questão ambiental, e que “no Pantanal é uma questão séria, uma grande extensão de queimadas, esse apoio que o ministro referenda é muito importante. É apoio logístico, financeiro e de homens que poderão estar presente lá (no Pantanal). O Ministério e o Governo federal vêm somar para combatermos as queimadas no Estado”.

Secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, avaliou o encontro como positivo e um avanço. Segundo o secretário, foram feitas solicitações de recursos e a disponibilização de aeronave do Exército para combate ao fogo, ao que o ministro teria se colocado a disposição para agilizar a liberação do dinheiro.

. “Tem nos preocupado muito a questão as queimadas, os grandes focos, principalmente no nosso bioma Pantanal, que tem uma situação que a gente considera graves sob o ponto de vista de incêndios. Corumbá, a estimativa de hoje foi como o maior foco de incêndios do Brasil. Mato Grosso do Sul é o sexto, mas nos preocupa muito essa temperatura e baixa umidade que continuam”, disse Verruck.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER