Campo Grande MS, Politica

Rose Modesto sonda Verruck e Puccinelli Jr. para serem vice

Mandatária da Sudeco e pré-candidata a prefeita mira nomes do PSD e MDB para compor sua chapa.

A chefe da Superintendência para o Desenvolvimento da Região Centro-Oeste (Sudeco) Rose Modesto (União Brasil), que é uma das pré-candidatas à prefeitura de Campo Grande, já faz contatos para escolher o vice em sua chapa. 

Entre os nomes sondados pelo grupo de Rose estão o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Jaime Verruck (PSD) e também o advogado e professor de Direito, André Puccinelli Jr. (MDB), filho do ex-governador André Puccinelli. 

A tarefa não será fácil, pois estes dois partidos tem, pelo menos em público, tomado rumos distintos ao da pré-candidatura de Rose. Um cacique político de Mato Grosso do Sul, entretanto, disse ao Correio do Estado que já existe uma sondagem neste sentido. 

Quanto a Jaime Verruck, o nome foi discutido com lideranças do PSD, por meio de cúpula. Embora o partido esteja dentro da aliança do pré-candidato Beto Pereira (PSDB), o posicionamento de Rose Modestos nas pesquisas, sempre com mais de dois dígitos, e até mesmo na liderança da preferência do eleitor quando o ex-prefeito André Puccinelli (MDB) não aparece nelas, é o trunfo dos candidatura de Rose. O assédio tem sido forte nos políticos do PSD. 

Em se tratando de André Puccinelli Jr., embora o pai dele apareça liderando as principais pesquisas publicadas até agora – em preferência, mas também em rejeição – o convite seria para “agradar” o ex-governador e ex-prefeito, e tirá-lo das negociações com o PSDB.

Apesar de ser pré-candidato, Puccinelli depende de financiamento para concorrer, e também mantém conversas com o PSDB de Beto Pereira. 

As lideranças que têm apoiado o nome de Rose Modesto para a prefeitura de Campo Grande acreditam que, ou o nome de Jaime Verruck, ou o sobrenome Puccinelli, na chapa dela para a prefeitura, a tornaria uma candidata mais forte ainda para o pleito de outubro próximo. 

O principal argumento dos que defendem a candidatura de Rose Modesto para convencer estes dois possíveis vice em sua chapa são as chances reais de vitória da ex-deputada federal e superintendente da Sudeco, segundo números demonstrados em pesquisas recentes, como a do Instituto Paraná Pesquisas, mas também em levantamentos internos realizados por todos os partidos. 

Disputa por partidos

Para viabilizar sua candidatura, Rose espera uma liberação de pelo menos todo o teto de gasto que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) estabelecerá para Campo Grande por seu partido e partidos da coalizão.

Com a vinda de partidos com bons fundos partidários, como PSD e MDB, aumenta a chance de Rose ter mais recursos para enfrentar candidatos que terão estrutura de máquinas administrativas como a prefeita da Capital Adriane Lopes (PP), que deve disputar a reeleição, e Beto Pereira (PSDB), que representa o grupo político que ocupa o governo de Mato Grosso do Sul. 

O PSD, por sua vez, também é cobiçado para fornecer o vice tanto para Beto Pereira quanto para Adriane Lopes. No entorno de Adriane Lopes, já há quem fale em convite similar feito a Jaime Verruck.

Já no entorno de Beto Pereira, a diretora da Fundação Juliano Varela, Malu Fernandes, é um dos nomes cotados. 

1ª Semana de junho

A superintendente da Sudeco, Rose Modesto, deverá se afastar do cargo que ocupa na primeira semana de junho, caso queira concorrer à prefeitura de Campo Grande. 

Por: CorreioDoEstado

Compartilhe
Desenvolvido por