Senadora eleita é chamada de tirana por derrubar presidente de partido

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Bolsonaro manifestou insatisfação com Soraya Thronicke, que excluiu Coronel David do diretório

A insatisfação do presidente Jair Bolsonaro com a exclusão do seu amigo, deputado estadual eleito Coronel David, do Diretório Regional do PSL em Mato Grosso do Sul mostra o clima de guerra com senadora eleita Soraya Thronicke. Ela é acusada de criar crise no partido e constranger o presidente da República com suas “manobras escusas” para atropelar outras lideranças do PSL por conquista de espaço.

A conspiração atribuída à futura senadora derrubou o pecuarista Rodolfo Nogueira da presidência do partido. Ele é outro amigo do presidente da República e integrou a equipe de transição. “Ela é uma tirana”, criticou Coronel David, jogado de lado pela futura senadora. David defende Rodolfo e recusa eventual convite para integrar o diretório com Soraya no comando. O deputado federal eleito Luiz Ovando é outro que não aceita participar do diretório com Soraya na presidência.

A confusão teria começado durante a campanha no ano passado, quando a então candidata ao Senado ligou para o presidente nacional do PSL na época, Gustavo Bebianno, reclamando que os santinhos não estavam sendo impressos com seu nome e imagem.

*Renata Volpe Haddad.

Print Friendly, PDF & Email