Sejusp manda investigar oficial por uso particular de viatura do bombeiro

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Comando Geral anunciou abertura de procedimento administrativo e diz que não coaduna com atitudes indevidas

Helio de Freitas, de Dourados

O Comando Geral do Corpo de Bombeiros e a Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul) prometem investigar a utilização de uma viatura para transportar dois internos do regime semiaberto que trabalham na reforma da casa do comandante da corporação em Dourados, a 233 km de Campo Grande.

O tenente-coronel Flávio Pereira Guimarães, comandante dos bombeiros na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul, admitiu o uso de mão de obra dos internos na reforma da casa, disse que vai pagar pelo serviço e que a viatura foi usada em uma situação excepcional.

“Em relação ao episódio ocorrido em Dourados, Comando Geral informa que um procedimento administrativo está sendo aberto para apura os fatos. Além disso, ressalta que não coaduna com comportamentos e atitudes indevidas”, afirma nota encaminhada pelo comando estadual do Corpo de Bombeiros.

Nesta terça-feira (12), o Campo Grande News flagrou a unidade de resgate – destinada exclusivamente ao socorro de pessoas feridas – sendo usada para buscar dois internos no presídio localizado na estrada de acesso ao distrito de Panambi, a quase 20 km do quartel dos bombeiros.

Os presos não foram levados para o quartel, onde deveriam estar trabalhando, mas para uma casa localizada no Portal de Dourados, bairro nobre da cidade. O Campo Grande News apurou informação de que o tenente-coronel comprou a casa. Ele diz que apenas alugou.

No ofício encaminhado à direção do presídio semiaberto de Dourados solicitando liberação dos internos, o comandante informou que os presos iriam fazer reparos no prédio da corporação, localizado na Avenida Presidente Vargas.

Flávio Guimarães disse hoje que o diretor do presídio José Nicácio do Nascimento sabia da situação. A Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) nega e reafirma que os presos foram liberados apenas para trabalhar no quartel.

Sejusp – Em nota encaminhada pela assessoria de imprensa, a Secretaria de Justiça e Segurança Pública informou que vai aguardar o resultado da apuração dos fatos através do procedimento administrativo instaurado pelo Corpo de Bombeiros e reforça que não coaduna com esse tipo de atitude.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER