Secretaria de Saúde reforça que o combate ao mosquito deve ser diário

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Coxim contabiliza nesta sexta-feira 223 casos de dengue notificados desde o dia 1º de janeiro deste ano. As equipes do Centro de Controle de Vetores e da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica trabalham intensamente mas precisam da mesma efetividade por parte da população.

 

“Não chegamos ao ponto de uma epidemia mas estamos com alta incidência de casos”, pontua o secretário municipal de Saúde, Franciel Oliveira, “e isso requer maior intensidade no combate aos focos do mosquito. Estamos trabalhando de forma intensificada desde antes do verão”.

 

“A principal ação que a população tem é se informar, conscientizar e evitar água parada em qualquer local em que ela possa se acumular. E se prevenir seja com as raquetes elétricas, repelentes e inseticidas, desde que aprovados pela Anvisa”, resume Franciel.

 

Ações em várias frentes

 

Desde o ano passado, a equipe de educação ambiental do Centro de Controle de Vetores (CCV) realizou 18 ações informativas em escolas e creches por meio do projeto Educa Vetores por meio de teatro, música e dança. Paralelamente, os agentes de combate a endemias visitaram 60 mil domicílios a cada três meses orientando os moradores a localizar e combater focos do mosquito.

 

“É como uma guerra”, diz Patricia Ferreira Gomes, coordenadora da Vigilância Epidemiológica. “Não podemos descuidar um minuto sequer. Temos de avaliar cada cantinho de nosso quintal. Qualquer recipiente, por menor que seja, que acumule água, pode se tornar um criadouro de larvas do mosquito”.

 

“As equipes do CCV estão trabalhando nos bairros onde foram registrados os casos mas precisam que a própria população colabore. Estamos realizando visita domiciliar, seguida de controle mecânico, tratamento focal com larvicida, e orientações aos moradores”, explica o Coordenador de Controle de Vetores, Marcilio Centurion.

 

Medidas de prevenção e combate ao Aedes aegypti

 

Manter bem tampados tonéis, caixas e barris de água;

Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água;

Manter caixas d’agua bem fechadas;

Remover galhos e folhas de calhas;

Não deixar água acumulada sobre a laje;

Encher pratinhos de vasos com areia ate a borda ou lavá-los uma vez por semana;

Trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana;

Colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas;

Fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais;

Manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo;

Acondicionar pneus em locais cobertos;

Fazer sempre manutenção de piscinas;

Tampar ralos;

Colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento;

Não deixar água acumulada em folhas secas e tampinhas de garrafas;

Vasos sanitários externos devem ser tampados e verificados semanalmente;

Limpar sempre a bandeja do ar condicionado;

Lonas para cobrir materiais de construção devem estar sempre bem esticadas para não acumular água;

Catar sacos plásticos e lixo do quintal.

 

Medidas que eliminam a presença de mosquitos transmissores de doenças e seus criadouros

 

Retirar recipientes que tenham água parada e cobrir adequadamente locais de armazenamento de água;

Proteção contra mosquitos, com portas e janelas fechadas ou teladas;

Uso de calça e camisa de manga comprida e com cores claras;

Denúncia de locais com focos do mosquito à prefeitura;

Mosquiteiros proporcionam boa proteção pra aqueles que dormem durante o dia (por exemplo: bebês, pessoas acamadas e trabalhadores noturnos);

Uso de repelentes indicados para gestantes.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER