Maia ironiza Weintraub no Banco Mundial: ‘Trabalhou no banco Votorantim, que quebrou em 2009’

A saída de Abraham Weintraub do Ministério da Educação foi anunciada por ele mesmo nas redes sociais nesta quinta-feira (18). Com isso, muitos parlamentares do Congresso comemoraram a notícia, entre eles, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

“A gente espera que possa ficar melhor. Estava muito ruim o Ministério da Educação. Todo mundo sabe a minha posição, não adianta ficar aqui reafirmando. Não é isso que vai melhorar o diálogo com o Ministério da Educação. Esperamos que a gente possa ter no Ministério da Educação alguém de fato comprometido com a educação e com o futuro das nossas crianças”, frisou Maia.

Quando questionado sobre a indicação de Weintraub para o Banco Mundial, o presidente da Câmara ironizou a indicação.

“No Banco Mundial? É…Porque não sabem que ele trabalhou no Banco Votorantim, que quebrou em 2009 e ele [Weintraub] era um dos economistas do banco”.

Maia também criticou a último ato de Abraham no cargo máximo da Educação. Ele extinguiu as cotas para negros e indígenas na pós-graduação. Rodrigo disse que vai conversar com o próximo ministro para tentar mudar a decisão.

“Vamos conversar agora com o novo ministro, dialogar com o ministro da articulação política, para ver se nós podemos resolver isso no diálogo com o governo, sem a necessidade de votação de um projeto de decreto legislativo. O ideal é que a gente possa mostrar ao governo que essa última decisão do ministro, já sabendo que ia sair, talvez tenha baixa legitimidade num tema tão importante e que vai gerar tanta polêmica e tanto desgaste para o governo em todo o Brasil”, .

Print Friendly, PDF & Email