Líder da CCJ, Simone vê funções como relevantes e espera por um ‘novo MDB’

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Senadora não se vê nesse meio, mas se põe como intermediária

A crise que existe dentro do MDB por conta da última eleição no Senado que envolveu a senadora sul-mato-grossense Simone Tebet e Renan Calheiros (AL), poderia acarretar de alguma maneira negativa dentro do Estado. Porém, a senadora espera que o partido se renove após toda essa discussão.

“O MDB se envelheceu mal e agora precisa voltar as suas origens e só tem um jeito, que é através da renovação nos seus diretórios municipais, estaduais e nacional”, pontuou.

A senadora lembra que nos próximos meses, haverá a eleição para a escolha do novo presidente nacional do partido e espera que seja renovado, para que segundo ela, “seja um partido mais democrático”.

“Não represento mais o novo, sou um pouco da experiência, estou nesse intermediário. Já tem as funções relevantes [da CCJ], a presidência da CCJ sempre foi o coração, e agora é o coração e o pulmão, porque recebemos a reforma, pacote do Moro”, explicou.

Ao ser questionada se concorda que o texto da reforma esteja apto para ser aprovado, Simone diz que “acho que entra de um jeito e sai de outro, como todo projeto polêmico”.

Print Friendly, PDF & Email