Insatisfeitos do PSL-MS já se preparam para migrar ao APB

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Simpatizantes de outros partidos e bolsonaristas estão na expectativa para oficialização do Aliança

Rayani Santa Cruz

Vice-líder do governo na Câmara Federal, deputado Dr. Luiz Ovando (PSL) comentou que vem sendo procurado por líderes de diversos municípios do Mato Grosso do Sul, ansiosos pelo lançamento oficial do Aliança Pelo Brasil (APB) que acontece na quinta-feira (21).

“A gente tem recebido telefonemas, voluntariados e muitas pessoas dispostas a participar, mas no momento não existe nada a ser confirmado. O pessoal não aceitou a situação da divisão do partido, da ala que ficou do lado de lá [bivaristas]”, diz.

O parlamentar afirma que a situação para crescimento do partido do presidente é favorável, mas não deu detalhes devido a questões de fidelidade partidária. Ao que tudo indica o deputado Coronel David e o ex-presidente do PSL-MS Rodolfo Nogueira, poderão auxiliar a debandada dos filiados insatisfeitos para o APB. Ainda não existe confirmação oficial, mas o cenário aponta para esse caminho.

“O PSL foi um partido que combateu a má pratica política e infelizmente aconteceu dentro do próprio partido”, disse Ovando que possui amizade com os dois.

Após a convenção do APB, a sigla será registrada em cartório e no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para receber o número partidário. Somente depois desse trâmite o partido estará autorizado a colher assinaturas para filiação. Existe a necessidade de 461 mil assinaturas para criar a nova sigla.

O deputado Ovando cumpriu agenda em Dourados nessa semana onde encontrou com sargento Prates conhecido na cidade e com diretor financeiro do Hospital Evangélico de Dourados-MS, Filipe Cunha.

“As questões administrativas e burocráticas estão sendo desenvolvidas. Estamos juntos na busca da solução partidária criada pela divisão do PSL”, finalizou.

Ontem, o presidente Jair Bolsonaro oficializou a saída do PSL os demais parlamentares que seguem o mandatário devem tentar o argumento sobre “falta de transparência no partido” para desfiliação, sem perder o mandato.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER