‘Em breve teremos a revolta pela vacina no Brasil’, por Vladimir Ferreira

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Por Vladimir Ferreira – Professor de História e presidente do PT/MS –

Em novembro de 1904, aconteceu no Rio de Janeiro, durante o Governo de Rodrigues Alves, uma crise sanitária, provocada pela varíola, por conta do acúmulo de lixo na cidade e as condições de moradia do povo .

Para combater a varíola, o Governo Federal determinou a vacinação compulsória da população, decisão essa, que gerou a revolta da vacina.

Naquele momento, a revolta não era contra a vacina em si, mas, contra a forma autoritária que o governo conduzia a vacinação e o processo de reurbanização do Rio de Janeiro, atingindo fortemente as camadas pobres da população.

Passado mais de um século, o Brasil pode ter uma outra revolta, mas não contra a vacina, e sim , pela VACINAÇÃO PARATODOS JÁ.

Enquanto o governo da época patrocinava a vacina, mas sem uma boa comunicação com o povo, o governo de agora , fez e faz, tudo para que não haja vacina , promovendo uma comunicação baseada em fake news, para justificar a sua incompetência em garantir a vacinação.

É importante esclarecer que o Governo Bolsonaro mediante lei, centralizou no Governo Federal a distribuição de vacinas , mesmo que essas vacinas sejam adquiridas por Estados e Municípios , ou seja, o atraso para que a vacina chegue até o seu braço, tem um único e exclusivo culpado, a política negacionista e genocida do Governo Bolsonaro.

O mesmo governo que centralizou a distribuição das vacinas , não quis assumir a coordenação e o planejamento do combate a Pandemia, juntamente com os demais poderes , Estados e Municípios, e recusou-se a contratualizar a compra das vacinas com antecedência, ou seja, como Pilatos, Bolsonaro lavou as mãos.

Mas o descontentamento está cada dia mais latente, nas filas dos postos de saúde, no comércio com restrições, nas famílias que já perderam os seus -já são mais de 400 mil vidas perdidas- e parece se esparramar para o conjunto da sociedade, que não aceita mais tanta negligência e irresponsabilidade desse governo com a vida , governo esse, que em pleno século 21 , fez opção pelo negacionismo e não pela ciência.

Ao contrário de 1904 , o povo clama pela vacina, luta pelo retorno a normalidade, aspira momentos de confraternização e abraços.

O problema, que também ao contrário de 1904, temos hoje um Presidente que trabalha contra a esperança do seu povo de vacinar-se e poder vencer essa doença.

Então, assim como em 1904, não estranhem se em breve, o empresário que quer a retomada da normalidade das suas atividades, o trabalhador que quer segurança para voltar ao trabalho, se juntarem , irem as ruas e realizarem a REVOLTA PELA VACINA PARA TODOS JÁ .

Está na hora do patrão e do trabalhador, do rico e do pobre, do velho e do jovem, do branco e do negro, se juntarem em prol de algo comum a todos e todas, O DIREITO A VIDA.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER