Dilma defende Petra Costa e diz que “Brasil é governado por um machista, racista e homofóbico”

A ex-presidente Dilma Rousseff defendeu, nesta terça-feira (4), a diretora do documentário ‘Democracia em Vertigem’, Petra Costa. A diretora do filme sobre o impeachment da petista foi alvo de comentários negativos do jornalista Pedro Bial e foi classificada como “anti-Brasil” pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom).

“Como se não bastasse a grosseria misógina e sexista de Bial contra Petra Costa, ao chamá-la de menina insegura em busca de aprovação dos pais, a candidata brasileira ao Oscar com o filme Democracia em Vertigem foi vítima de intolerável agressão oficial do governo Bolsonaro”, escreveu Dilma pelo Twitter.

Para a ex-presidente, o vídeo postado pela Secom contra Petra Costa é um “brutal desrespeito à liberdade de expressão”.

“Petra foi até serena na escolha das palavras, ao dizer uma pequena parte do que os brasileiros e o mundo já sabem: o Brasil é governado por um machista, racista, homofóbico, inimigo da cultura, apoiador de ditaduras, da tortura e da violência policial, e amigo de milicianos”, afirmou Dilma.

Segundo a petista, a diretora foi “chamada de mentirosa por dizer a verdade”. A ex-presidente também afirmou que no Brasil não há “ninguém mais anti-Brasil e mais pernicioso à nossa imagem no exterior do que Bolsonaro”.

 

Print Friendly, PDF & Email