Bolsonaro critica “idiotas” que ainda defendem ficar em casa

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

“Tem uns idiotas aí até hoje do fique em casa. Se o campo tivesse ficado em casa esse cara tinha morrido de fome”, disse.

O presidente Jair Bolsonaro chamou, nesta segunda-feira, de “idiotas” aqueles que defendem o isolamento social para combater a disseminação do coronavírus, apesar de a medida ser considerada por especialistas como uma das principais armas para conter a covid-19.

“Tem uns idiotas aí até hoje do fique em casa. Se o campo tivesse ficado em casa esse cara tinha morrido de fome”, disse Bolsonaro a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, ao agradecer o apoio que recebeu no fim de semana de produtores e representantes do agronegócio que participaram de ato em Brasília.

Desde o início da pandemia o presidente ataca medidas adotadas por governadores e prefeitos com base em recomendação científica para restringir a circulação e aglomerações de pessoas como forma de reduzir a transmissão do coronavírus.

Ao discursar no ato em seu favor no sábado, que provocou aglomeração, Bolsonaro disse que “não é ficando embaixo da cama em casa que vamos solucionar esse problema” da pandemia.

No início do mês, Bolsonaro ameaçou editar um decreto para “garantir o direito de ir e vir” e desafiou o STF (Supremo Tribunal Federal) na ocasião ao dizer que se o texto for publicado não seria contestado em “nenhum tribunal”.

O Brasil possui o segundo maior número de mortes pela doença no mundo, abaixo apenas dos Estados Unidos, e a terceira maior contagem de casos confirmados de coronavírus, atrás dos EUA e da Índia. No domingo, informou o Ministério da Saúde, foram registradas 1.036 novas mortes em decorrência da covid-19, elevando o total de óbitos pela doença a 435.751. O número total de infecções no país chega a 15.627.475.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER