Alcolumbre critica atitude de Bolsonaro de participar de ato público

”Com a pandemia do coronavírus fechando as fronteiras dos países e assustando o mundo, é inconsequente estimular a aglomeração de pessoas nas ruas”, afirmou o senador

O presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), criticou na noite desse domingo, 15, a participação do presidente Jair Bolsonaro nos atos pró-governo e contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Davi Alcolumbre

@davialcolumbre

Convidar para ato contra os Poderes é confrontar a Democracia. É tempo de trabalharmos iniciativas políticas que, de fato, promovam o reaquecimento da economia, criem ambiente competitivo para o setor privado e, sobretudo, gerem bem-estar, emprego e renda para os brasileiros.

Alcolumbre também mencionou o esforço mundial para conter o coronavírus. “Com a pandemia do coronavírus fechando as fronteiras dos países e assustando o mundo, é inconsequente estimular a aglomeração de pessoas nas ruas”, afirmou o senador, em nota. “A gravidade da pandemia exige de todos os brasileiros, inclusive do presidente da República, responsabilidade”, escreveu.

Davi Alcolumbre

@davialcolumbre

A gravidade da pandemia exige de todos os brasileiros, e inclusive do presidente da República, responsabilidade! Todos nós devemos seguir à risca as orientações do Ministério da Saúde.

No fim do dia, Bolsonaro comentou o assunto em uma entrevista à CNN Brasil e rebateu Maia e Alcolumbre. “Gostaria que Maia e Alcolumbre saíssem às ruas como eu. Saiam às ruas e vejam como vão ser recebidos”, disse o presidente. Apesar da declaração, Bolsonaro afirmou que está disposto a se reunir com os dois parlamentares para alinhar uma “pauta de interesse da população”. “Estão fazendo críticas. Estou tranquilo. Espero que não queiram fazer algo belicoso”, disse o presidente.

‘Não ajuda’

Parlamentares de partidos de direita e de centro também criticaram a atitude de Bolsonaro. “Deixem a fotografia e a história falarem por si”, afirmou a presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS). Para o líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), a conduta do presidente “não ajuda neste momento” de “tantos desafios”.

O líder do PSD no Senado, Otto Alencar (BA), classificou o comportamento do presidente ontem como o de um “bufão”. “Uma palhaçada com uma coisa tão grave como essa”, disse o parlamentar.

Na avaliação do líder do PSB na Câmara, deputado Alessandro Molon (RJ), a participação de Bolsonaro na manifestação representa uma “ameaça à vida das pessoas”. A líder do PSL na Casa, deputada Joice Hasselmann (SP), disse que a atitude do presidente é “incompreensível”. “Não dá pra entender o comportamento irracional do presidente”, declarou ela.

Print Friendly, PDF & Email