Deputado de MS sai em defesa de Bolsonaro e ataca pesquisas: ‘viés esquerdista’

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Ele diz que a Datafolha tem viés esquerdista e que é necessário avaliar outras fontes

Rayani Santa Cruz

Nesta segunda-feira (2), uma pesquisa da Datafolha indicou que 44% dos brasileiros não confiam na palavra do presidente Jair Bolsonaro (PSL). O deputado federal Luiz Ovando, da mesma sigla, desconfia do viés ideológico da fonte e do método utilizado para colher as respostas.

“A pesquisa tá aí, é um número, mas gostaria de ver o outro lado de uma pesquisa que não tem o viés esquerdista da Datafolha para comparar. Tem que ter dois lados, tem que ter o pró e o contra”, diz.

O parlamentar afirma que a pesquisa da Datafolha não é muito confiável e não há motivos para a bancada se preocupar, principalmente em aspecto de popularidade, já que o presidente foi eleito pela maioria. “O presidente tem que responder a 57 milhões de pessoas que o escolheram, porque queriam mudança e ele está fazendo”.

De acordo com a publicação da Datafolha, houve um crescimento de 5% na reprovação do presidente, que passou de 33% para 38%. O aumento da reprovação coincide com o período de crises do governo como as queimadas na Amazônia e polêmicas envolvendo o presidente da França Emmanuel Macron.

Para o deputado sul-mato-grossense, as polêmicas são uma reação ‘exagerada da ala de esquerda’, que está orquestrada para fazer oposição. Mas, diz também que é natural nesse processo.

“Em relação a Amazônia, eu não sou técnico e tenho que acreditar naquilo que está sendo colocado. Existem declarações mostrando que não houve esse aumento de queimadas e desmatamentos.  O presidente convocou o Exército para ver o que está acontecendo na região. E, quanto ao Macron, não há duvida que ele é de esquerda e que não está cuidando do próprio país, que está com problemas de segurança e terrorismo”, dispara.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER