Vereadora acusa colega de machismo e acaba agredida dentro da Câmara

0
183

Jéssica Benitez

Ele nega e diz que vereadora ‘tropeçou e caiu’

A vereadora de Porto Murtinho, Maria Donizete dos Santos (PT), afirma ter sofrido agressões do colega de parlamento Edicarlos Oliveira (PSDB), na Câmara Municipal da cidade na manhã desta quarta-feira (23). A briga ocorreu por conta de uma postagem que a filha dela fez em relação ao vereador. No texto publicado em rede social no dia 3 de outubro, a moça repudiava a reeleição do tucano ao qual chamou de ‘machista’.

O legislador não gostou da atitude e teria proferido ofensas a filha de Maria na rádio em que trabalha. Nesta manhã, quando a vereadora chegou em sua sala na Casa de Leis, Edicarlos estava lá. O assunto veio à tona e, segundo ela, após negar a atitude, o colega admitiu que xingou a garota.

Foi quando os ânimos ficaram exaltados, como é possível conferir no áudio, Maria alega que o petista a atingiu com “uma porrada no peito”. Ela teria caído de costas, batido a cabeça no armário e machucado o cóccix. A mulher foi ao hospital, fez exame de corpo de delito e registrou Boletim de Ocorrência.

“Ele tem esse comportamento com mulheres empoderadas. Já agrediu verbalmente a presidente da Câmara, a secretária de Educação e fez o mesmo quando eu era a secretária de Educação”, diz a vereadora que vai tomar todas as medidas cabíveis contra o suposto agressor, inclusive no Legislativo.

“É muito revoltante, ele age assim somente com mulheres”, pontuou. No Facebook de Maria, várias mulheres deixaram mensagens de apoio e organizam protesto nesta quinta-feira (24) às 9h30 na Câmara Municipal da cidade.

Outro lado – Edicarlos confirma que houve discussão com a colega, mas nega que tenha a agredido. Ele diz que Maria chegou à sala, que pertence ao PT na Casa de Leis, já gravando e foi falar com ele sobre o suposto xingamento feito a filha. “Eu disse que não foi para ela que eu disse as coisas, foi para outra pessoa, mas se ela me xingasse eu responderia igual. Daria o troco”.

O legislador sustenta que a colega bloqueou a saída da sala e, ao afastá-la com o braço esquerdo, a vereadora foi para trás, tropeçou e caiu. “No áudio eu digo para ela ir gritar com os filhos dela, mas não houve agressão, nem verbal”, garante. O tucano, que também é radialista, diz que quando a petista era secretária de Educação em Porto Murtinho, ele fez muitas denúncias sobre a pasta e tal fato teria desencadeado a rixa entre os dois.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here