Vacina contra a influenza: confira a programação dos grupos prioritários

0
24

Fabio Pellegrini

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica, torna público o calendário de vacinação contra a gripe (também chamada de influenza).

Por orientação do Ministério da Saúde, a vacinação teve início esta semana, com prioridade para grupos pré-determinados, a saber:

A partir de 23 de abril: trabalhadores da Saúde, crianças de 06 meses a menores de 05 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias) gestantes, puérperas e professores da ativa (levar holerite e documento com foto);

A partir de 12 de maio (Dia D): população acima de 60 anos de idade;

A partir de 21 de maio: pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independe da idade (levar prescrição médica), adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

O secretário municipal de Saúde, Franciel Oliveira, orienta que não há motivo para pressa, e que, para receber a dose de vacina, as pessoas devem levar a carteira de vacinação às seguintes unidades de saúde: Policlínica Lourdes Fontoura; ESF Ilda Kohl; ESF Totó Araújo; ESF Argemiro Barbosa, no distrito de Silviolândia; ESF Marechal Rondon; e ESF Santa Maria, ESF Senhor Divino e ESF Jorge Ritt.

“A nossa meta é vacinar 7.635 pessoas em Coxim. Pedimos as pessoas que respeitem o calendário dos grupos prioritários, pois não há motivos para pânico. No dia 12 de maio teremos o Dia D da Vacinação, sendo que a campanha vai até o dia 1 de junho. As pessoas que não se enquadram nos grupos prioritários sugerimos procurar a rede particular de saúde para receber a vacina”, avisa o secretário.

Para mais informações, a Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica e Imunização disponibiliza o telefone 3291 7817.

Saiba mais sobre os grupos prioritários para a vacinação:

Crianças de seis meses a menores de cinco anos: todas as crianças que receberam uma ou duas doses da vacina influenza sazonal em 2017, devem receber apenas uma dose em 2018.

Gestantes: todas as gestantes em qualquer idade gestacional.

Puérperas: todas as mulheres no período até 45 dias após o parto estão incluídas no grupo alvo de vacinação.Trabalhador de Saúde: todos os trabalhadores de saúde dos serviços públicos e privados, nos diferentes níveis de complexidade.

Professores: todos os professores das escolas públicas e privadas da ativa. Apresentar holerite e documento com foto.

Povos indígenas: toda população indígena, a partir dos seis meses de idade.

Indivíduos com 60 anos ou mais de idade deverão receber a vacina influenza.

Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas deverão receber a vacina influenza.

População privada de liberdade e funcionários do sistema prisional: o planejamento e operacionalização da vacinação nos estabelecimentos penais deverão ser articulados com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde e Secretarias Estaduais de Justiça (Secretarias Estaduais de Segurança Pública ou correlatos).

Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independe da idade, (conforme indicação do Ministério da Saúde em conjunto com sociedades científicas).

A vacinação deste grupo deve ser realizada em todos os postos de vacinação. No entanto, mantém-se a necessidade de prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina, que deverá ser apresentada no ato da vacinação.

Sobre a gripe

A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção (crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).

A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, aos olhos e ao nariz.

A transmissão ocorre principalmente através do contato com partículas eliminadas por pessoas infectadas ou mãos e objetos contaminados por secreções. É muito elevada em ambiente domiciliar, creches, escolas e em ambientes fechados ou semi fechados, dependendo não apenas da infectividade das cepas, mas também do número e intensidade dos contatos entre pessoas de diferentes faixas etárias.

A síndrome gripal, que se caracteriza pelo aparecimento súbito de febre, cefaléia, dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga é a manifestação mais comum. Nos casos mais graves, geralmente, existe dificuldade respiratória e há necessidade de hospitalização. Nesta situação, denominada Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), é obrigatória a notificação às autoridades de saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here