Governador reafirma que decreto sobre cota zero será publicado em fevereiro

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

O anúncio de Azambuja feito no dia 26 de janeiro dividiu opiniões

MARESSA MENDONÇA, RENAN NUCCI E BRUNA AQUINO

Em agenda pública, realizada nesta quinta-feira (31), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) reafirmou que o decreto sobre a cota zero para a pesca nos rios de Mato Grosso do Sul, com calendário finalizado será publicado no próximo mês. O chefe do Executivo Estadual havia feito este anúncio no último dia 26 de janeiro e, desde então, proposta levantou alguns questionamentos de pescadores e empresários do ramo turístico.

“Nós estamos desenhando o decreto. Não é um decreto finalizado e com certeza vamos chegar em um consenso”, disse ele. A ideia, segundo Azambuja, é repor os estoques pesqueiros nos rios do Estado.

“É muito inteligente a cota zero e a pesca esportiva. Agora vamos trabalhar, ouvir as reivindicações ouvir os setores. Lógico que não vai ter unanimidade de pensamentos, mas, vamos buscar o que é melhor para o meio ambiente, para a geração de emprego e novas oportunidades de turismo”, declarou o governador com a certeza de que é possível chegar em um acordo com aqueles que protestam contra a medida.

Conforme Azambuja, a cota zero para pesca é resultado de um estudo científico com objetivo de preservar os grandes reprodutores e as matrizes de peixes.

Em entrevista à uma emissora de rádio,realizada na quarta-feira (30), Azambuja já havia adiantado que, não havia motivos para temor com a publicação do decreto.  “Na hora que você restabelecer o estoque pesqueiro, mais turistas virão”.

Uma medida semelhante para preservar as espécies foi tomada no fim do ano passado, com a sanção da lei que proíbe a pesca do Dourado (Salminus brasiliensis ou Salminus maxillosus) nos próximos cinco anos nos rios do Estado, além do fim da cota de pesca amadora.

AVALIAÇÃO POSITIVA

Para o presidente da Associação de Pesca Esportiva do Pantanal (Apep), Alexandre Pierin, a nova legislação anunciada por Azambuja, além de preservar o meio ambiente, despertará uma nova consciência no pescador e no turista. “A proibição do dourado foi uma vitória e agora, com a cota zero, haverá menos pressão nos rios, principalmente no Pantanal, e estaremos preservando também a cultura da pesca esportiva”, declarou.

Especialista em ictiofauna, o biólogo Thomaz Lipparelli, também elogiou a medida, afirmando que a cota zero será a sobrevida dos estoques pesqueiros e também um divisor de águas para o pescador profissional que vive nas barrancas dos rios. “A alternativa desse pescador está na pesca esportiva, onde ele pode ter trabalho e renda”, disse. “Hoje o pescador busca a esportividade e a cota zero vai tornar a pesca no Estado em evidência, atraindo mais turistas”, finalizou.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER