A força do capitão: Bolsonaro puxou votos e surpreendeu nas urnas de MS

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Presidenciável elegeu senadora, deputado federal e os dois deputados estaduais mais votados

Diana Christie

Primeiro colocado na disputa pela Presidência da República, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) mudou o jogo eleitoral em Mato Grosso do Sul e colocou estreantes na lista de puxadores de votos. Como efeito prático, a principal surpresa foi a eleição de Soraya Thronicke (PSL) para o Senado, com mais de 16% dos votos válidos.

O nome e o rosto do capitão do Exército também refletiram na Câmara Federal e Assembleia Legislativa. Em sua primeira campanha, Tio Trutis (PSL) conquistou quase 5% do eleitorado sul-mato-grossense, despontando entre os seis deputados federais mais votados.

Capitão Contar, do PSL, chegou ao legislativo estadual com mais de 70 mil votos, dezenas de milhares a mais que o segundo colocado.

Os resultados contrariaram a maioria das pesquisas eleitorais e colocam uma interrogação sobre o que aconteceria se o partido tivesse lançado candidato a governador em Mato Grosso do Sul. Mais que isso, a coligação puxou alguns deputados estaduais da coligação como Evander Vendramini (PP) e Lucas de Lima (SD), que tiveram pouco mais de 12 mil votos cada.

Para efeitos de comparação, Contar obteve 77,8 mil votos e Coronel David 45,5 mil. Nos demais partidos, o mínimo de votos foi de 16 mil votos válidos conquistados por Antônio Vaz, do PRB. O mesmo aconteceu no Senado, com Soraya conquistando mais de 370,6 mil votos, cerca de 16 mil votos a mais que o terceiro colocado na disputa, o senador Waldemir Moka (MDB), que perdeu a reeleição.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER