Situação financeira do Hospital Regional é discutida na Câmara de Vereadores de Coxim

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

A situação financeira do Hospital Regional, em Coxim, foi discutida na Câmara de Vereadores na noite desta terça-feira (20/11).

Segundo o Vereador Careca, o hospital acumula dívidas que chegam a R$ 4 milhões, com INSS e FGTS, com IRPF e fornecedores, mais 4 milhões, constantes atrasos salarial dos médicos, chegando até 3 meses de atrasos de alguns profissionais, podendo  ter alguns serviços suspensos, por falta de gestão.

De acordo com as denúncias do Vereador Careca, que chega pedir o afastamento da Diretoria do Hospital Regional, o SITE INTEGRAÇÃO MS, ligou para a Diretora do HR, Joelma Schumacher, que repassou a seguinte informação.

A questão salarial dos médicos encontra-se em atraso apenas um mês, os repasses do governo que normalmente é feito até o dia 20 de cada mês, às vezes com atraso, é repassado dia 30 de cada mês, portanto, segundo a Joelma, o estado repassado até o dia 30, coloca a folha em dia, ficando para dezembro uma folha.

Com despesa mensal em torno de R$ 1,5 milhão e receita de R$ 1,1 milhão, o Hospital Regional Álvaro Fontoura, de Coxim, vem acumulando uma dívida milionária.

Somente com FGTS, INSS, IRPF a dívida acumulada ultrapassa R$ 6,1 milhões. Tem ainda a dívida com fornecedores, que está sendo levantada para ser informada através de relatório as autoridades.

Segunda a Diretora Joelma, é que a conta não fecha atualmente se gasta mais do que se arrecada. A saída é economizar, e ter que exonerar alguns funcionários, e não reduzir atendimento de qualidade.

Na semana passada o Prefeito Aluizio São José e o Secretário de Saúde, Franciel Oliveira, foram até ao Secretário de Saúde do Estado e também em Brasília, com o Ministro da Saúde, para uma possibilidade de fazer gestão junto aos governos Estadual e Federal, em busca do aumento dos repasses. Para que você tenha uma ideia o dinheiro que o Hospital Regional recebe do Ministério da Saúde custeia apenas a metade da hemodiálise, ou seja, o serviço ofertado a toda região custa ao mês aproximadamente R$ 230 mil e só recebe R$ 110 mil.

Esse déficit da hemodiálise poderia não existir, caso o governo do Estado tivesse honrando um termo de contratual em 2017 de Um Milhão e Meio, e repassando mensalmente pouco mais de R$ 158 mil para o HR de Coxim. Conforme a direção do hospital, somente de 2017 o governo do Estado deve mais de R$ 1,7 milhão desse termo de contratual. Por este motivo que o Hospital hoje passa por dificuldades.

Outra questão levantada pela Diretora Joelma, é que precisa ser revista o valor que os municípios atendidos repassam mensalmente ao Hospital Regional. Desde 2010, com exceção de Coxim, os outros municípios repassam apenas R$ 15 mil ao mês cada um.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER