Reinaldo ameaça com processo e fica indignado com servidora por almoçar em pé no Detran

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Por

Aline Lira

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) viralizou nas redes sociais e grupos de Whatsapp com vídeo em que se mostra indignado com o desgaste causado com a imagem de uma servidora almoçando em pé no Detran (Departamento Estadual de Trânsito). Em reunião com a cúpula do Governo estadual, o tucano defende processo administrativo contra o funcionário público.

A reação do chefe do Poder Executivo, gravado um vídeo que é mais uma ofensiva contra os servidores estaduais. Neste ano, eles não tiveram reajuste salarial nem para repor a inflação acumulada de 4,66% nos últimos 12 meses e foram obrigados a ampliar a jornada diária de seis para oito horas sem qualquer tipo de compensação financeira.

“Mete um processo administrativo disciplinar nele”, ameaça o governador para a plateia composta pelo vice-governador Murilo Zauith (DEM), secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Veirruck, do presidente da Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa (PSDB) e do ex-secretário estadual de Administração e atual chefe de gabinete, Carlos Alberto Assis.

Em seguida, ele comenta a imagem da funcionária do Detran, que surgiu almoçando em pé logo após o retorno da jornada de oito horas. Como o órgão extinguiu o refeitório e a sede fica a dez quilômetros do Centro, servidores são obrigados a buscar alternativas para se alimentar.

“Sensível” com o drama dos servidores, Reinaldo mostrou-se indignado com a cena. “Apareceu aquela funcionária comendo em pé. Primeiro que nós não somos obrigados, ela tem horário de almoço. Vai comer onde ela quiser, comendo em pé porque ela quer”, afirma, indignado.

A ameaça do governador causou mais indignação entre os servidores. De acordo com o Sindetran/MS (Sindicato dos Servidores do Detran), a sede do órgão conta com 800 funcionários efetivos, comissionados e terceirizados. Como o prédio fica na zona rural e os trabalhadores só contam com uma hora de almoço, das 11h30 às 12h30, eles enfrentam problema de locomoção para ir em casa ou encontrar um restaurante para o fazer a refeição.

“Não houve um estudo sobre a viabilidade dessa mudança de horário, não providenciaram condições para o servidor. As Agências do Detran estão sucateadas, mal tem espaço para trabalharmos, quanto mais para alimentação. A intenção de aumentar a comodidade da população é muito válida e os próprios servidores concordam com isso, mas a mudança deve ser feita de maneira adequada, sem que prejudique o servidor que já encontra péssimas condições de trabalho e baixo salário”, reagiu o Sindetran-MS, Octacílio Sakai Junior.

Júnior afirma que Reinaldo foi “totalmente desnecessário e infeliz” com a ameaça. Ele diz que o Governo do Estado “gasta milhões em publicidade para falar mal do servidor público” e adota a política de “valorização zero”.

“Mudaram nossa lei para aumentar o cabide político”, afirma o sindicalista. “Aumento só para quem agita bandeira em período eleitoral”, disse, sobre o reajuste de 16,38% aos comissionados, enquanto os demais servidores tiveram os salários congelados.

Sakai Júnior ainda cita a economia para os cofres estaduais com o trabalho realizado pelos servidores. Ele faz referência a Operação Antivírus, que flagrou esquema milionário de desvio no Detran. Conforme o Ministério Público Estadual, o Detran pagava R$ 7,4 milhões para a Pirâmide Informática por seis meses por um serviço que vem sendo executado pelos servidores sem qualquer gasto extra aos cofres do órgão.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER
posto