PT prepara cronograma para a virada de ano em Curitiba com Lula

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

O PT preparou uma programação especial de eventos para o último dia de 2018, em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Curitiba. A virada de ano com Lula terá 1 ato religioso e outro político, com a presença de petistas de todo o país.

Caravanas foram organizadas para levar apoiadores ao Paraná, onde o petista está preso na sede da Polícia Federal.

No cronograma previsto para 31 de dezembro, estão as tradicionais saudações de “bom dia”, “boa tarde” e “boa noite” ao petista e 1 ato com representantes das caravanas de todo o país que estarão em Curitiba. O PT organizou vaquinhas para bancar as viagens de apoiadores de Lula a Curitiba no réveillon.

Lula está em Curitiba desde abril, quando foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na Lava Jato.

Também está previsto 1 ato religioso para às 20h e na sequência uma confraternização de final de ano. Eis o cronograma completo:

  • 9h – saudação de “bom dia” com as “Mulheres pela Liberdade do Lula”
  • 10h – atividades artísticas, culturais e poéticas
  • 14h30min – saudação de “boa tarde”
  • 15h – atividades artísticas, culturais e poéticas
  • 19h – saudação de “boa noite”
  • 19h15min – ato político com representantes das caravanas e convidados
  • 20h – ato inter-religioso
  • 21h – confraternização de final de ano
  • 23h – virada do ano

O candidato do PT à Presidência da República nas eleições de 2018, Fernando Haddad, convocou os apoiadores do partido para passarem a virada de ano na cidade com Lula. “Vai ser muito importante ele sentir o calor humano de seus apoiadores”, disse. Assista ao vídeo gravado por Haddad:

Reprodutor de vídeo de: YouTube (Política de Privacidade)

Em 19 de dezembro, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) deu uma nova esperança ao ex-presidente ao determinar a soltura de todos os presos condenados em 2ª Instância, o que incluiria o petista. A decisão foi revogada horas depois pelo presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, o que manteve Lula encarcerado.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER