Professor que foi à polícia denunciar ameaças de seguidores de Bolsonaro recebe apoio de juristas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Professor da UFGD mobilizou especialistas em Direito contra candidatura de capitão da reserva

Celso Bejarano

Juristas pela Democracia, entidade integrada por defensores públicos, procuradores, juízes, advogados, bacharéis, professores e estudantes de Direito, divulgaram, na manhã desta segunda-feira (1º), nota de repúdio contra os ataques recebidos pelo professor da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), Tiago Botelho. O docente foi atacado por redes sociais depois de comandar uma manifestação contra a candidatura de Jair Bolsonaro, do PSL, à presidência do Brasil. Ele denunciou o caso à polícia.

Botelho lançou um desafio pelas redes sociais e atraiu depoimentos de professores universitários que gravaram depoimentos contra Bolsonaro.

Veja a nota:

“NOTA DE REPÚDIO AOS ATAQUES SOFRIDOS PELO PROFESSOR E ADVOGADO TIAGO BOTELHO E SUA FAMÍLIA

Nós, Juristas pela Democracia, coletivo formado por defensores públicos, procuradores, juízes, advogados, bacharéis, professores e estudantes de Direito para a defesa da democracia, manifestamos nosso mais veemente repúdio à violência e ameaças sofridas pelo professor universitário e advogado Tiago Resende Botelho e sua família, em face de seus posicionamentos políticos através da rede social Facebook no último final de semana por apoiadores do candidato Jair Bolsonaro.

A liberdade de expressão, prevista no artigo 5º, IV da Constituição Federal Brasileira é um direito constitucional conquistado por pessoas que defenderam e defendem a democracia neste país, muitas das quais deram sua própria vida para que tivéssemos o direito de votar.

O posicionamento político de todo e qualquer cidadão está protegido pelo direito fundamental acima descrito, que é um dos pilares do Estado Democrático de Direito, e deve ser respeitado.

Ao ameaçar, injuriar, difamar ou rechaçar alguém por sua opinião e convicções político-ideológicas, viola-se o Estado Democrático e adentra-se a um modo totalitário de vivência, onde o diferente, o que se apresenta contra a nossa opinião, é passível de violência e opressão.

Repudiamos publicamente as ameaças e ofensas sofridas por Tiago Resende Botelho e sua família, e estaremos adotando as medidas judiciais cabíveis não apenas por tratar-se de uma ofensa a um de nossos membros, mas porque a incitação ao ódio e à violência não se coadunam com um regime democrático, ainda mais quando praticadas por apoiadores de um projeto político que já declarou que não aceitará o resultado das urnas, ameaçando assim as conquistas democráticas do povo brasileiro. Fascistas, não passarão! Mato Grosso do Sul, 01 de Outubro de 2018.”

Print Friendly, PDF & Email
HIPER