População avalia governo e pede investimentos em infraestrutura

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Saúde, segurança e geração de empregos também devem ser priorizadas, segundo a população

MATHEUS HENRIQUE E FÁBIO ORUÊ

Governador Reinaldo Azambuja (PSDB) completa 100 duas de seu segundo mandato como chefe da administração estadual. População campo-grandense se divide entre os que acham que, nesses primeiros meses, o governo foi bom e os que acreditam que pode melhortar. Para os próximos meses de gestão, maioria acha que são necessários mais investimentos, principalmente na área de infraestrutura. Saúde, segurança e geração de empregos também devem ser priorizadas, segundo a população.

Beatriz Lourenço – Foto: Matheus Henrique / Correio do Estado

A operadora de caixa, Beatriz Lourenço, 35 anos, vê o estado e o governo de forma positiva. Beatriz veio para Campo Grande há dois anos para visitar, gostou muito e decidiu morar na Capital com a filha. Segundo ela, a educação e a infraestrutura da cidade é bem melhor que a de origem dela, na baixada santista em São Paulo.

Arcy Aquino – Foto: Matheus Henrique / Correio do Estado

Já o cabeleireiro Arcy Aquino, de 56 anos, avalia o governo como fraco. Segundo ele, a gestão está seguindo as falhas anteriores e que para resolver boa parte dos problemas deveria acabar os cargos de indicação e priorizar pessoas técnicas para cada área. “As obras como vão ser feitas sem conhecimento técnico?”. Aquino ainda diz que as estradas do estado estão muito ruins e que falta investimento no turismo “Tem vários lugares bons para ser explorados, mas não é”.

Emoly Karen – Foto: Matheus Henrique / Correio do Estado

A vendedora, Emoly Karen, 18 anos, questiona obras paradas e o dinheiro investido em shows. Ela afirma que o governo precisa priorizar o investimento em saúde, segurança e educação “A educação muda tudo! Quanto mais conhecimento, tudo melhora.” afirma.

Josenildo Caetano da Silva – Foto: Matheus Henrique / Correio do Estado

Para o vendedor Josenildo Caetano da Silva, de 45 anos, o governador “está trabalhando bem, mas não acertando no jeito de governar”. Segundo ele, falta investir no crescimento do estado em novas cidades e bairros, pois dessa forma atrairia pessoas e indústrias de outros locais e cresceria as cidades em estrutura e economicamente”.

Valquiria da Costa – Foto: Matheus Henrique / Correio do Estado
Geração de empregos deve ser o foco, segundo avaliação da vendedora Valquiria da Costa, de 33 anos.  Segundo ela, por ser vendedora e estar presente nas ruas diariamente, observa que o desemprego aumentou e muitas pessoas estão passando por dificuldades. Ela também acredita que deveria atrair novas indústrias para gerar mais empregos e que se sente insegura pela falta de segurança do local onde trabalha.
Huga Pereira – Foto: Álvaro Rezende / Correio do Estado

Aposentada Iraci Marques, 60 anos, e a operadora de caixa Huga Pereira, 43, avaliam o governo como positivo, afirmando que, por este motivo, o povo deu uma segunda oportunidade e reelegeu Azambuja. “A gente está vendo coisas acontecendo, principalmente em Campo Grande. Ele está conseguindo trazer benefícios para o Estado”, disse Huga.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER