Plano de demissão de servidores será prioridade nesta legislatura, diz Azambuja

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Ainda não há expectativa de adesão com a criação do programa

MARESSA MENDONÇA E IZABELA JORNADA

“O projeto prioridade nessa legislatura será o PDV [O Plano de Demissão Voluntária] vamos dar condições para os servidores que não queiram mais continuar”. A declaração foi dada na manhã desta sexta-feira (1º) pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) durante a posse dos deputados estaduais de Mato Grosso do Sul na Assembleia Legislativa. “Estou com boas expectativas para 2019”, completou o chefe do Executivo Estadual.

Durante agenda pública realizada na quinta-feira (31), Azambuja havia informado que, o PDV para os servidores do Governo do Estado de Mato Grosso só será enviado para votação na Assembleia Legislativa após realização de fóruns com representantes dos servidores, mas adiantou que, isto deve ocorrer até o dia 10 de fevereiro.

Um estudo para reimplantação do PDV começou a ser feito no mês de dezembro de 2018, mas ainda não há conclusões sobre quais benefícios os servidores terão, caso se inscrevam, nem a expectativa de adesão ou de economia que o governo terá com o programa.

A lei que instituiu o PDV em Mato Grosso do Sul foi criada em 1997 e oferecia condições especiais, além de vantagens para os servidores que solicitassem aposentadoria de maneira voluntária.

EVENTO

Os deputados estaduais eleitos nas últimas eleições, no ano passado, tomam posse nos cargos nesta sexta-feira (1º), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, no Plenário Deputado Júlio Maia, em Campo Grande.

A sessão será presidida pelo deputado Ovevan de Matos (PSDB), atual vice-presidente da Mesa Diretora e reeleitos no último pleito, conforme determina o regulamento interno.

Logo após a posse, que conta com a presença do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), será realizada uma sessão extraordinária para a escolha dos integrantes da próxima Mesa Diretora da Casa de Leis.

Dos 24 parlamentares, 13 foram reconduzidos ao cargo, nove terão o primeiro mandato e dois retornarão ao Legislativo estadual.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER