Para ter presidente da ALMS, PSDB conta com 16 eleitos e oferece 1ª secretaria

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

O candidato, no entanto, ainda não foi definido

Apesar de manter na disputa para a presidência da ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) quatro dos cinco deputados eleitos e ainda não definir quem sairá candidato, o PSDB conta com duas ‘vantagens’: a eleição de 16 dos deputados e ainda a oferta da 1ª secretaria da Casa para quem o apoiar.

A intenção de oferecer o cargo para conseguir apoio e vencer a disputa foi revelada nesta quarta-feira (21) pelo deputado Paulo Correa. Nesta terça, os tucanos se reuniram para tentar definir o nome que concorreria pelo partido, mas a decisão foi adiada para a próxima semana.

“O que temos é que vamos oferecer a 1ª secretaria para o bloco que nos apoiar. Além disso, temos a vantagem de ter eleito 16 parlamentares em coligação e com apoio”, disse.

Outro bloco que já se movimenta pela presidência é o do MDB, PT e Patriota. No entanto, segundo Almi, a intenção deles é ficar com ‘ao menos’ a 1ª secretaria, sinalizando um possível acordo para eleger o PSDB.

No bloco, parte do MDB apoiou a reeleição de Reinaldo Azambuja e o deputado Lídio Lopes (Patriota) foi eleito pela coligação tucana.

No entanto, os deputados ainda têm tempo para planejar a eleição da presidência, já que ainda conversa com os deputados novatos para compor. “Nós esperamos fechar um bloco com dez deputados”, diz Almi. Para eleger o presidente, é preciso que a maioria simples da Casa vote no candidato. No caso, 13 parlamentares.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER