Onça-pintada acorda depois de chegar a Campo Grande, se alimenta e segue se recuperando

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Das duas onças-pintadas regatadas no Pantanal, nesta terça-feira (03), apenas uma sobreviveu depois de ter sido transportada a Campo Grande, para receber cuidados do Centro de Recuperação de Animais Silvestres (CRAS). A boa notícia é que agora, o macho jovem sobrevivente já está acordado e se alimentando.

As Informações são do Instituto Ambiental do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul). De acordo com o veterinário responsável, Lucas Cazati, só na quinta-feira (05) será possível saber se o animal sobreviverá.

O animal estava em companhia de outra onça macho numa região da Serra do Amolar, próximo ao rio Paraguai, aparentando severa debilidade e com dificuldades para andar devido aos ferimentos causados pelo incêndio.

Segundo Lucas Cazati, os problemas não são as queimaduras, mas sim a grande quantidade de fumaça que inalam ao tentar se livrar do incêndio.

Ambas as onças foram resgatadas por voluntários do Grupo de Resgate Técnico Animal do Pantanal de Mato Grosso do Sul (Gretap/MS). Elas foram sedadas e transportadas para a Capital em um aivão da Força Aérea Brasileira.

Em nota, o governo do estado relata que a onça sobrevivente está em observação, bastante debilitada ainda, mas já se alimentou.

Só na sexta-feira (06), se continuar em boas condições, será submetida a novo procedimento para tratar os ferimentos. Ontem, foram coletadas amostras de sangue para realização de hemograma para melhor avaliação do quadro clínico dos animais.

 

CORREIO DO ESTADO

Print Friendly, PDF & Email
HIPER