Junior Mochi solicita substituição de pontes de madeira por de concreto em Coxim

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Hugo Norberto   Foto: Hugo Norberto

O deputado estadual e atual presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Junior Mochi, protocolou, na manhã desta quinta-feira (1), durante sessão ordinária, indicação que será encaminhada aos secretários de Estado de Governo e Gestão Estratégica e de Insfraestrutura, Eduardo Riedel e Helianey Paulo da Silva, respectivamente, para a implantação de pontes de concreto no município de Coxim, região norte do estado.

Segundo a solicitação, encaminhada pelo vereador Edmir Cândido ao gabinete do deputado estadual, encaminhado ao Governo do Estado propõe a utilização de recursos do Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundersul) para a substituição gradativa das pontes de madeira.

No documento destaca-se que as obras servirão para melhorar as vias estratégicas para o transporte de pessoas que vivem na região, de escolares e do escoamento da produção agropecuária, sendo fundamental para a economia da região.

Homenagem

O parlamentar protocolou também uma moção de congratulação destinada a presidente do Conselho Brasileiro de Superdotação, Graziela Cristina Jara, devido a realização do VIII Encontro Nacional do ConBraSD, do III Congresso Internacional sobre Altas Habilidades/Superdotação e do I Seminário de Altas Habilidades/Superdotação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), realizados entre os dias 25 e 27 de outubro deste ano.

De acordo com o parlamentar, a discussão apresentada nestes eventos resulta em benefícios imensuráveis para a melhoria da qualidade de vida de uma parcela da população. No país há, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 10 milhões de pessoas com superdotação, entretanto, dados do Censo Escolar de 2016 apontam que somente 15 mil pessoas possuem altas habilidades na educação básica.

“Eventos como este são importantes para que possamos compreender melhor quem são essas pessoas e desenvolver políticas públicas que facilitem a vida deles. Há, atualmente, uma grande dificuldade de se identificar quais são as características de pessoas com superdotação e a discussão deve ser ampliada”, ressaltou Mochi.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER