Governo de Mato Grosso do Sul prorroga Toque de Recolher até o próximo dia 9 de janeiro

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Azambuja reforçou que a comemoração de Ano Novo deve ser restrita e com todos os cuidados

Brenda Machado

O Toque de Recolher em Mato Grosso do Sul foi prorrogado por mais 15 dias. O horário de restrição permanece o mesmo, das 22h às 05h.

A decisão foi publicada nesta segunda-feira (28), em edição extra do Diário Oficial do Estado.

Estendido até o próximo dia 9 de janeiro, o Toque é válido para os 79 municípios de Mato Grosso do Sul.

A partir do horário estabelecido, é permitida a circulação de pessoas apenas para os serviços essenciais e emergências médicas.

O governador Reinaldo Azambuja disse que a decisão é um reflexo dos números de casos e de óbitos da Covid-19 no estado, que continuam em alta, e reforçou que a comemoração de Ano Novo deve ser consciente.

“O momento exige medidas mais restritas, estamos operando no limite da capacidade do Sistema Único de Saúde. O foco é evitar mais mortes. “, disse o governador Reinaldo Azambuja, sobre a decisão ser um reflexo dos números de casos e de óbitos da Covid-19 no estado, que continuam em alta.

Usando a comemoração de Ano Novo como gancho, Azambuja continuou, reforçando a necessidade de a população estar consciente.

“Assim como o Natal, o Ano Novo é uma data muito esperada, mas faço um apelo para que comemoremos em casa, com nossos familiares, em um número restrito de pessoas e com todos os cuidados necessários.”, pediu.

As fiscalizações continuarão acontecendo numa parceria entre a Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Vigilância Sanitária Estadual e Municipais e Guardas Municipais.

O secretário de Justiça e Segurança Pública, Antônio Carlos Videira, lembrou que o Toque de Recolher deve ser levado a sério, inclusive porque é passível de penalidades.

“Quem insistir (em quebrar o toque de recolher) será autuado e encaminhado à delegacia por crime de desobediência. Inclusive, a Polícia Civil já está com reforço para receber esses casos”, avisou Videira.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER