Glauber Braga: ‘Não sabia que Moro era tão covarde’

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Leonardo Lellis
Já se passavam mais de sete horas da sabatina na Câmara dos Deputados em que o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) dava a sua versão sobre os diálogos com o procurador Deltan Dallagnol — e que colocam em xeque sua imparcialidade na Operação Lava Jato — quando ele resolveu se levantar e deixar a sessão sob os gritos de “fujão”.
A saída do ministro se deu após a fala do deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ) que, a partir de uma analogia com o jogo de futebol, chamou Moro de “juiz ladrão”. Apesar da reação da bancada governista que rebateu aos gritos e levou ao encerramento da sessão, o parlamentar fluminense afirma que “a história” vai provar o que disse.

O senhor não acha que exagerou ao chamar o ministro Sergio Moro de juiz ladrão? Não retiro uma palavra do que eu disse. Eu fiz uma analogia com o jogo de futebol, em que você tem um juiz que se corrompe, passa integrar um dos times e recebe uma recompensa por causa disso. O nome disso é corrupção e, na linguagem popular, se chama de juiz ladrão.

Então houve incompreensão em relação ao contexto? Eu não estou preocupado com a forma como a bancada do PSL compreende o que eu digo. Estou me lixando para eles. Eu estou preocupado com a maioria do povo brasileiro que entende o que tem que ser dito e que a gente não pode deixar de dizer.

A reação do ministro te surpreendeu? Me surpreendeu o grau de covardia. O ministro não aguentou o primeiro embate quando confrontando com a verdade e saiu. Não sabia que ele era tão covarde como se apresentou ontem.

O senhor também já chamou o deputado Eduardo Cunha de “gângster”. Ele tentou me processar, mas os fatos e a história demonstraram o que é a realidade e é uma coisa que eu tenho a certeza que vai acontecer com o Moro.

Não teme responder também por este episódio? Não temo responder a qualquer tipo de processo e não vejo qualquer motivação para os deputados bolsonaristas fazerem este pedido no Conselho de Ética. Mas se acontecer e for admitido, será mais uma oportunidade de demonstrar a verdade e produzir provas para demonstrar que Moro é um juiz ladrão.

Print Friendly, PDF & Email
posto
HIPER