Distrito de Bonito, Miranda e Coxim seguem em alerta devido a cheias de rios

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Boletim diário elaborado pela Sala de Situação de Mato Grosso do Sul, com dados das 7h deste domingo (31), mostra que, apesar de ainda registrarem chuvas, rios do Estado começaram a baixar nas últimas 24 horas, mas não o suficiente para levantar o estado de atenção ou, mesmo, de emergência em alguns locais.

Conforme os dados de medição nas estações do  (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), a situação mais preocupante segue na região do distrito de Águas de Miranda, em Bonito, e da cidade de Miranda. No norte do Estado, a Estação de Coxim também aponta cheia na junção dos Rios Taquari e Coxim.

Em Águas de Miranda, onde cheias chegaram a desalojar famílias há algumas semanas, o  chegou a subir 28 centímetros em 24 horas, saindo de 6,55 metros na sexta-feira (29) para 6,93 metros no sábado (30). Neste domingo, houve uma sensível baixa, atingindo 6,86 metros. Na região, houve registro de 0,2 milímetros de chuva.

Já em Miranda o viés é de baixa: de 7,65 metros na sexta, o  recuou para 7,63 sábado e, neste domingo, está em 7,60 metros. A situação ainda é tratada como de emergência, mas não há quantitativos de chuvas somados nas últimas horas anteriores à elaboração do boletim.

Os dados das duas bases ainda indicam situação de emergência. Já em Coxim, a monitoria recomenda alerta após o Taquari subir 10 centímetros entre sexta-feira e sábado, passando de 4,03 metros para 4,13 metros. Neste domingo, a marca era de 4,05 metros.

Nas demais localidades do Estado, a situação é considerada normal, com as réguas cravando 3,99 metros no Rio Piquiri (extremo norte, na divisa com Mato Grosso); 1,38 metro em Ladário; 1,01 metro em Porto Esperança; 2,98 metros em Porto Murtinho; 4,12 metros em Aquidauana e 2,54 metros no distrito de Palmeiras.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER