Depois de fechar escolas, Estado agora faz corte de professores

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

No lugar dos educadores dispensados, secretaria pretende colocar técnicos de nível médio

Depois de anunciar o fechamento de quatro escolas na rede estadual de ensino em 2019, a Secretaria de Estado de Educação (SED) dispensou cerca de 300 professores contratados. Nesta semana, os profissionais que desempenhavam a função de professor gerenciador de tecnologias educacionais e recursos midiáticos (Progetecs), em Campo Grande e no interior do Estado, foram comunicados da extinção da função. No entanto, técnicos de nível médio serão contratados para desempenhar função semelhante, porém, sem papel pedagógico.

O comunicado interno enviado ontem às escolas considera a importância dos recursos tecnológicos na educação, contudo, afirma que os professores possibilitaram ao aluno “o acesso à informação e ao conhecimento, transformando-o e permitindo que ele próprio seja o agente transformador de ambas as histórias”.

A reportagem do Correio do Estado conversou com dois dos profissionais dispensados pela SED, mas eles preferiram não se identificar. Um deles atuava na função há dez anos e realizou mais de 30 cursos pagos pelo governo para atuar como coordenador de mídias, além de ser ganhador de prêmios nacionais com projetos desenvolvidos com os alunos. “Foi investido dinheiro pesado na gente. Nos especializamos e agora todo esse investimento será perdido”, afirma.

*Tainá Jara.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER