Com hospitais superlotados, casa noturna mantém agenda de baladas na Capital

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Empresário do setor garante que medidas de biossegurança são cumpridas

O  Governo do Estado emitiu um alerta, no início desta semana, pedindo para que a população de Campo Grande fique em casa, devido ao alto índice de contágio do novo coronavírus na Capital.

No entanto, é possível notar, principalmente à noite e aos finais de semana, bares e casas noturnas lotadas, sem cumprir as medidas de distanciamento.

A lotação de UTIs chegou a 100% nos principais hospitais públicos e particulares da capital, o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul e o Hospital da Unimed anunciaram taxa de ocupação máxima em leitos destinados à pacientes infectados pela doença.

No início do mês de outubro, a casa de shows Valley Pub Campo Grande anunciou o retorno de suas atividades.

A informação foi divulgada por meio das redes sociais e dividiu opinião do público, dado que, estamos em meio a uma pandemia.

Nas redes sociais, enquanto alguns aprovaram a ideia, outros acham que não é o melhor momento para a reabertura.

A decisão do retorno está de acordo com as medidas municipais que flexibilizam restrições nos mais diversos segmentos. Desde o dia 10 de outubro, prefeitura autorizou o retorno da realização de eventos.

O empresário Sérgio Longo Filho, dono da Valley Pub, afirmou que está seguindo todos os protocolos de segurança impostos pela Prefeitura de Campo Grande, autorizando a entrada de apenas 50% da capacidade da casa noturna, entre outros cuidados.

O local tem capacidade para receber até 750 pessoas.

“Nós fizemos um plano de biossegurança e protocolamos na prefeitura. Temos álcool em gel espalhado pela casa, distanciamento entre as mesas, aferição de temperatura na entrada, e exigimos o uso de máscara na entrada. Se a pessoa estiver consumindo dentro da casa, não é necessário. Todas as medidas exigidas pela prefeitura, nós estamos seguindo”.

Atualmente a casa noturna atende quatro dias da semana.

Longo destaca que durante oito meses, desde que o coronavírus se espalhou pela cidade, o empreendimento se manteve fechado e que foi necessário realizar negociações para se manter.

“Nós ficamos praticamente durante oito meses, fechada, e fizemos renegociação de aluguel, fornecedores, e com tudo possível para se manter. Não foi fácil ”, explicou.

Outras casas noturnas da Capital também mantém a agenda de eventos, mas o Correio do Estado não obteve contato com os proprietários até a publicação desta reportagem.

Boletim

Durante transmissão ao vivo realizada hoje (25), o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, afirmou que “ficar em casa é melhor forma de combater a Covid”.

Segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), em 24 horas Mato Grosso do Sul registrou 905 casos e 4 mortes.

O Estado possui 94.652 casos confirmados de Covid-19, 1.742 óbitos pela doença e 84.103 pessoas recuperadas desde o início da pandemia. Em isolamento domiciliar encontram-se 7.838 doentes.

Há ainda 356 pessoas internadas, 205 em leitos clínicos e 151 em leitos de unidade de terapia intensiva (UTI). Campo Grande registrou nas últimas 24 horas, 453 novos casos.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER