Atleticanos citam Bolsonaro em canto homofóbico para cruzeirenses no Mineirão: ‘Vai matar veado’

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

SUPERESPORTES

Torcedores do Atlético-MG direcionaram um canto homofóbico a cruzeirenses durante o clássico deste domingo, no Mineirão, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. A música, registrada em vídeo nas redes sociais (assista abaixo), faz referência ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

“Ô cruzeirense, toma cuidado: o Bolsonaro vai matar veado”, diz o canto. A reportagem do Superesportes e do Estado de Minas estava no local e presenciou o momento durante o intervalo do jogo, que terminou empatado por 0 a 0.

Além da menção na música, Jair Bolsonaro teve o próprio rosto estampado em uma camisa levada por um atleticano ao Mineirão.
Nas redes sociais, os próprios atleticanos demonstraram irritação com o canto. Torcedores de outros times também protestaram contra a manifestação homofóbica.

Movimento de torcedores que se denomina ‘anti-homofóbico e anti-sexista’, Galo Queer publicou uma nota nas redes sociais:

“Esperamos que a diretoria do Clube Atlético Mineiro se posicione publicamente em repúdio aos cantos entoados pela torcida atleticana no clássico de hoje, no Mineirão. Um grito que incita diretamente o assassinato de homossexuais. É inadmissível que o clube que carrega o marketing de time de povo fique em silêncio diante das ações violentas de parte da sua torcida.

Lembramos que o artigo 13 do Estatuto do Torcedor garante que não se deve incitar atos de violência no estádio, qualquer que seja a sua natureza, e ainda que não tenham cânticos discriminatórios, racistas ou xenófobos.

Procurado pela reportagem, o Atlético informou inicialmente que não se posicionaria sobre o tema. Por volta das 23h30, no entanto, o clube usou sua conta no Twitter para se posicionar sobre o epsódio: ‘O CAM lamenta profundamente as manifestações homofóbicas de parte dos torcedores, no jogo deste domingo, no Mineirão. Reiteramos nosso repúdio a quaisquer gestos de preconceito ou de incitação à violência’.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER