Em primeiro compromisso oficial, Paulo Corrêa recebe representantes do MP

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Jota Menon

Como parte do esforço para estreitar as relações entre os poderes, o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS), deputado Paulo Corrêa (PSDB), recebeu, na tarde desta terça-feira (5), o corregedor nacional do Ministério Público (MP), Orlando Rochadel Moreira, e o procurador geral de Justiça do Estado, Paulo Cezar dos Passos. Essa é a primeira visita oficial à nova presidência da Casa de Leis.

“Nós vamos melhorar a relação entre os poderes”, afirmou Paulo Corrêa. “O Ministério Público é um poder constituído e nós o respeitamos muito. Por isso é motivo de orgulho recebermos, como a primeira visita oficial, o corregedor Orlando Rochadel e o procurador Paulo Cezar dos Passos”, acrescentou o parlamentar.

O deputado também enfatizou que essa aproximação deve ser feita sempre com respeito à autonomia dos poderes. “O Ministério Público é, sem dúvida, muito importante para o Estado. Por isso, vamos trabalhar juntos, em parceria, sempre respeitando a autonomia”, finalizou.

Considerações semelhantes fizeram Orlando Rochadel e Paulo Cezar. “O Ministério Público tem de estreitar os relacionamentos com a classe política, com o Poder Legislativo. Isso é nossa obrigação”, afirmou o corregedor. “É bastante importante a parceria da Assembleia Legislativa com o Ministério Público, porque atuamos em prol da sociedade”, reforçou o procurador.

Os dois também ressaltaram a relevância da autonomia dos poderes. “O Ministério Público e o Poder Legislativo têm autonomia em suas atuações, mas isso não impede o diálogo, não impede a conversa”, defendeu Rochadel. “Mantendo a autonomia, o Poder Legislativo e o Ministério Público devem buscar aquilo que seja melhor para a sociedade”, completou Paulo Cezar.

Durante o encontro, o presidente da Casa de Leis presenteou o corregedor Orlando Rochadel com réplica do monumento “Guerreiro Guaicurus”. Na ocasião, o parlamentar explicou a importância dessa etnia para a história de Mato Grosso do Sul.

Print Friendly, PDF & Email
HIPER