Aquário do Pantanal: ‘Se a loucura foi iniciada, a loucura tem que terminar’, diz Reinaldo

0
19
Foto: André de Abreu

Governador destacou que concluiu 208 das 214 obras inacabadas herdadas pela gestão

Airton Raes

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), afirmou que faltam apenas seis obras inacabadas das 214 construções deixadas pelos governos anteriores para concluir até o final do mandato, incluindo o Aquário do Pantanal. “Na minha campanha eu disse que era contra a construção do Aquário. Mas se a loucura foi iniciada, a loucura tem que terminar”, disse o governador.

Reinaldo Azambuja lembrou que uma das metas do governo foi o programa “obra zero”, além dos investimentos e obras desse governo. “Investimos R$ 1,7 bilhão em infraestrutura nesses três anos, R$ 700 milhões em saneamento e R$ 1 bilhão em obras”, explicou.

O governador ainda enfatizou que, durante a campanha, foi contra a construção do Aquário, mas destacou que como é uma obra que recebeu recursos públicos é necessário concluir. “Pretendemos concluir em 2018. Eu não teria feito o Aquário em hipótese alguma. A obra vai ficar em R$ 250 milhões. É um absurdo. Mato Grosso do Sul tem outras prioridades”, disse.

Também ressaltou que espera uma resposta do Ministério Público Estadual, Tribunal de Contas e do poder Judiciário para poder retomar as obras, uma vez que a questão está judicializada. “Mesmo estando sob investigação, não vamos olhar para trás. Vamos olhar para frente. Mesmo sendo contrário a sua execução, é uma obra que recebeu dinheiro publico e precisa ser concluída”, afirmou.

Entre as outras obras incabadas, Azambuja lembrou que foram retomadas obras deixadas por muitos governos. “Além do Aquário, temos os três presídios em construção e também o Hospital do Trauma, que devemos concluir no inicio do ano. O Hospital do Trauma está sendo construído há 21 anos. Passando por diversos governos sem ser concluído”, completou.

DEIXE UMA RESPOSTA